10 de março de 2016

Reflexão

06:23


Faz um tempo que eu não posto aqui...
Mas quando algo fica entalado na garganta, precisamos colocar pra fora.
Para começar a história, há um tempo atrás questão de 13 anos, eu e minhas amigas decidimos escrever cartinhas umas para as outras. Eu tinha 12 anos de idade! Sim, na época eu me achava adulta, mas pensando bem hoje vejo que era uma criança.
Eu escrevi para uma das minhas 3 amigas que gostava muito dela e que considerava ela muito minha amiga. Em resposta recebi um silêncio, nem um abraço ou algo recíproco.
Com o passar do tempo, me vi em uma situação bem parecida.
Percebi que o sentimento de amizade que tenho por uma de minhas amigas não existe. Ela simplesmente não me inclui em nada de suas lembranças ou nem ao menos tem consideração por mim. Você deve estar se perguntando se eu sou chata! Posso responder que nos divertimos muito juntas mas não há o sentimento de reciprocidade. Ela é minha amiga mas considera outras pessoas como as MELHORES AMIGAS dela.
Isso é um pouco frustrante pois eu a considerava demais, talvez tanto que faria qualquer coisa para ajudá-la. Porém comecei a ver que no dia-a-dia ela não se importava comigo. Me passando muitas vezes pra trás. Alguns acham que amigos amigos negócios a parte, mas não no meu mundo.
Não consigo mais vê-la como amiga!
E agora descobri que em uma relação sempre há aquele que se doa mais.
Com o passar do tempo vi que não temos nada em comum e talvez não tivéssemos nada em comum desde o início.
Talvez eu tenha a incluído demais na minha vida, onde ela nunca quis estar.
Por isso hoje a deixo voar para onde desejas, e ao nos tornarmos colegas fazemos aquilo que colegas fazem - nos reunir ocasionalmente para rirmos de coisas aleatórias. E deixar de lado as conversas secretas, confissões, companheirismo, irmandade e cumplicidade de lado.